Apple precisa de uma nova estratégia de varejo

Da wiki Zee.Wiki (PT)
Ir para: navegação, pesquisa

Apple precisa de uma nova estratégia de varejo[editar]

PEQUIM, CHINA - 07 de janeiro: O logotipo da Apple é visto na janela em uma loja da Apple em 07 de janeiro de 2019, em Pequim, na China. Apple Inc. baixou sua orientação de receita na semana passada, culpando a China
  • A Apple Store está em uma encruzilhada.
  • Seu CEO está deixando o cargo e o iPhone, seu produto mais importante, está em uma grande queda. Isso é uma má notícia para a Apple no curto prazo - mas uma grande oportunidade para a Apple Store assumir um papel ainda maior para a empresa.
  • A Apple (AAPL) construiu suas lojas para ser o showroom definitivo de seus mais recentes produtos. Os clientes em potencial podem testar cada dispositivo da Apple. Mas esse modelo enfrenta um grande desafio: as vendas do iPhone caíram 15% no último trimestre. As pessoas não estão comprando tantos dispositivos da Apple, e estão segurando seus gadgets antigos por mais tempo do que no passado.
isto
  • A chefe de varejo Angela Ahrendts anunciou na terça-feira que deixará a empresa. Agora a Apple precisa descobrir como suas 500 lojas de varejo se encaixam em seu futuro.
  • "As lojas precisam refletir uma franquia Apple em mudança", disse Daniel Ives, analista da Wedbush Securities. "Parte disso foi perdido nos últimos anos."

'Uma maneira incrível de comprar um computador'[editar]

  • A Apple não divulga vendas ou tráfego de pedestres de suas lojas, mas estima que elas representam cerca de 25% da receita anual de US $ 265 bilhões da empresa.
  • A Apple Store continua sendo um mega-sucesso. Ele traz mais receita por metro quadrado do que qualquer outro varejista - incluindo a Tiffany, de acordo com a eMarketer.
  • Mas a Apple Store depende muito de lançamentos de produtos, especialmente o iPhone, para atrair clientes, dizem os analistas. Sem um iPhone ou gadget novo e quente, os clientes ficam longe das lojas - a menos, é claro, que as telas fiquem quebradas.
Fatos rápidos da Apple
  • "As lojas da Apple só funcionam quando têm alta demanda, produtos sexy", disse Jason Goldberg, chefe da área de comércio na agência digital SapientRazorfish.
  • Ahrendts tentou reduzir a dependência da Apple em novo hardware. Ela se concentrou em transformar as lojas em uma "praça da cidade moderna" com sessões de treinamento prático. Sob Ahrendts, a Apple entrou em cidades como Dubai e Bankok e abriu lojas em destinos de alto perfil, como a Champs-Élysées em Paris.

Longos tempos de espera[editar]

  • O sucessor de Ahrend, Deirdre O'Brien, terá a chance de reformular as lojas para a próxima era da Apple. O'Brien, atual vice-presidente de recursos humanos da Apple, se tornará "vice-presidente sênior de Retail + People".
  • O'Brien deveria se concentrar em melhorar o atendimento ao cliente nas lojas, argumentou Goldberg: Como os clientes da Apple compram menos iPhones, as Genius Barras da loja servem como uma oportunidade para o crescimento.
  • Mas os tempos de espera para o Genius Bar da Apple costumam ser longos e as lojas estão superlotadas. Goldberg acredita que a Apple deveria tirar uma lição das concessionárias de automóveis, que separaram seus showrooms dos departamentos de serviços há muitos anos.
  • "A Apple provavelmente terá que se mover nessa direção também", disse ele.
  • A Best Buy reinventou suas lojas indo all-in em atendimento ao cliente e suporte técnico com a Geek Squad. À medida que os varejistas ao redor desmoronam, a Best Buy registrou seis trimestres consecutivos de crescimento comparável de vendas acima de 4%.
O CEO da Best Buy, Hubert Joly, não tem nada para lhe vender
  • Um executivo de RH de carreira pode parecer um ajuste estranho para assumir o principal cargo de varejo. Mas se a Apple Store do futuro se concentrar no atendimento ao cliente, a experiência em gerenciamento de pessoas pode ser o que o novo chefe de varejo precisa para que a loja seja bem-sucedida.
  • A Apple precisa de uma estratégia de varejo que use lojas para mostrar o futuro da empresa, disse Ives.
  • Isso significa exibir menos iPhones e iPads e exibir mais conteúdo original. A Apple está planejando seu próprio serviço de streaming para concorrer com a Netflix e deve lançar este ano. A empresa planeja compensar a desaceleração das vendas de gadgets com a venda de serviços e conteúdo para os clientes do iPhone.
  • Mais funcionários da Genius Bar, um novo layout e um novo executivo poderão transformar a Apple Store em um futuro onde as vendas de iPhone não são o principal catalisador para levar as pessoas às lojas - mas sim o serviço de iPhone e o conteúdo de vídeo.

Discussões[editar]

Páginas afluentes[editar]

Referências[editar]